Extraordinário




Extraordinário, adaptação do livro homônimo escrito por R.J. Palacio, conta a história de Auggie um garoto de 10 anos que, devido a deficiências de nascença, passou por 27 cirurgias plásticas e agora terá que encarar o inicio da vida escolar. Se para crianças "normais" é uma fase difícil de mudanças e adaptações, imaginem para o pequeno August que só se sente seguro na sua pacata vida familiar ou em seu capacete de astronauta?

Extraordinário

 2017

Wonder

Dirigido por: 


August Pullman é um garotinho que nasceu com uma desordem craniofacial congênita. Pela primeira vez, ele irá frequentar uma escola regular, como qualquer outra criança. No quinto ano, ele irá precisar se esforçar para conseguir se encaixar em sua nova realidade.


Vi varias criticas que o filme trata o bullyng de forma leve, que não aproveitou a oportunidade para discutir o leque de temas que poderiam ser abordados, tratando o tema de forma infantil. Mas nesse sentindo o filme foi bem fiel ao livro, até mais leve eu diria. O que vejo é que talvez as pessoas estejam tão armadas e prontas para militar por uma causa que não notam que o foco principal da obra é a gentileza. É mostrar que a forma como vemos o mundo e tratamos o outro faz toda a diferença na vida d! as pessoas. Vivemos um momento tão complexo, com todas as formas de preconceito enraizada no dia a dia, que o filme chega a ser reconfortante, um sopro de delicadeza necessário. Sensível em cada detalhe. Nos faz pensar em como as pequenas experiências são importantes para nos transformar em quem somos e em como interagimos com o mundo.


É o tipo de filme que você precisa assistir de coração aberto, deixando um pouco das expectativas de lado, se atente aos preceitos e as boas intenções, amadureça junto com os personagens, descubra o poder das boas amizades, a importância do apoio familiar. Pratique a empatia, só assim você estará pronto para assistir Extraordinário!


Se me apaixonei pelo livro quando o li, agora com o filme esse relação ficou ainda mais forte!


PS: Precisamos falar sobre Jacob Tremblay, aquele garotinho que ganhou o coração dos espectadores de O Quarto de Jack, ele mesmo é incorporou o nosso querido Auggie, sua atuação está pronta para destruir novos corações. Um verdadeiro prodígio!



"Seja gentil, você não sabe as batalhas que o outro enfrenta!"


"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil."

Bate-papo com artista: Lara Oliva

Por Ingrid Faria

Hoje é dia de bater papo com uma artista. Uma menina cantora de nove anos chamada Lara Oliva. Sua voz é um verdadeiro espetáculo, sua simpatia realça sua beleza e sua paciência a torna encantadora.
Com vocês, Lara Oliva.

Com quantos anos você começou a cantar?
Eu comecei a fazer aula de música com 06 anos. Primeiro comecei aprendendo violão e depois comecei a cantar

Existe idade certa para desenvolver um talento?
Acho que não. Você pode descobrir um talento com qualquer idade. Basta ter dedicação e correr atrás do seu sonho.

O que você mais gosta de fazer? Cantar não vale
Eu adoro compor! Também gosto de dançar, tirar fotos, e, claro, de brincar muito.

Como você descobriu esse talento?
Meu professor de música é amigo dos meus e de vez em quando ele cantava e tocava violão na minha casa. Então comecei a me encantar com a música e a fazer aulas e compus minha primeira música, "Zoo Safari", com 06 anos.

É verdade que vida de artista é algo corrido?
Ainda não sou um artista com agenda de shows lotada, mas a minha vida é bem corrida. Estudo, faço aula particular, inglês, luta, aulas de música e ainda tenho os compromissos profissionais, como tirar fotos, ensaiar, gravar vídeos etc., mas como eu adoro fazer tudo isso, eu me divirto.

Um beijão pra vc! Espero conhecê-la pessoalmente algum dia.
Lara Oliva

“Esse é o seu ano”



Não sei mais o quanto de café tomei esse ano. “Esse é o seu ano”. Não sei mais quantas vezes minha imunidade baixou devido ao estresse. “Esse é o seu ano”. Não dormi o necessário o ano inteiro. “Esse é o seu ano”. Assisti vídeoaula 1h da manhã. “Esse é o seu ano”. Procrastinei. “Esse é o seu ano”. Eu só tenho 18 anos. “Esse é o seu ano”. Criei metas. “Esse é o seu ano”. Chorei. “Esse é o seu ano”. Tentei me encaixar em um padrão de estudante. “Esse é o seu ano”. Acumulei matéria. “Esse é o seu ano”. Não soube o que fazer.

“Esse é o seu ano” eles disseram, sem ter noção do peso dessas palavras na vida de um vestibulando.


por Ingrid Faria
Topo