A grande reclusa

A GRANDE RECLUSA

Cesar Heitor

Não, a Lila não pode citar Dickinson no blog. Fico com ciúmes. EMILY DICKINSON (1830-1866) que nunca se casou talvez porque eu ainda não havia nascido, deixou um legado de 1.750 poemas, todos escritos a partir de 1850 em sua voluntária reclusão aos seus vinte belos anos.
A poeta nasceu na América sete anos antes do início do longo reinado da Rainha Vitória na Inglaterra (1837-1901) cuja cultura influenciava a sociedade americana ao ponto de introduzir, por exemplo, dentre as regras de etiqueta, uma moça não interagir socialmente com os homens, devendo sempre que possível ignorar mesmo os conhecidos ao cruzar com eles. 
Compreendo perfeitamente que tenha se poupado de uma sociedade que ela reprovava. Nascida em 10 de dezembro de 1830, em Amherst, Massachusetts, Estado Unidos, filha de uma família abastada que, dela, enquanto mulher, esperava exatamente isso: discrição e submissão social a uma imensa lista de a mulher não pode isso, aquilo e aquilo outro.
Ao invés de brigar em campo aberto, exatamente por ter uma personalidade tão forte, ela se fechou e se reinventou em inesquecíveis versos. 
Um exemplo? Cursando o famoso The South Female Seminary, abandonou o lugar após se recusar, publicamente, declarar sua fé.
Em uma viagem à Filadélfia, E. D. conheceu o clérigo Charles Wadsworth, então com 41 anos. A Wikipédia menciona que “alguns críticos creditam a Wadsworth, como sendo o alvo de grande parte dos poemas de amor escritos por ela”. 
Vá saber. Acho que seu verdadeiro amor era mesmo a poesia. Ela disse certa vez:
“If I read a book and it makes my whole body so cold no fire can ever warm me, I Know that is poetry.”1 
Em vida, Dickinson não publicou mais do que dez poemas, alguns deles anonimamente. Morta, sua poesia liberou-se e imortalizou-se com ela. É impossível separar sua vida de sua obra. Ela é cada um de seus poemas, é a poesia em pessoa. 
Já não esconde mais o seu amor. Está pronta para deitar com ele:
Ample make this bed.
Make this bed with awe;
In it wait till judgment break
Excellent and fair.
Be its mattress straight,
Be its pillow round;
Let no sunrise’ yellow noise
Interrupt this ground.


1"Se eu ler um livro e ele faz todo o meu corpo tão frio nenhum fogo pode me aquecer, eu sei que é poesia."

17 comentários

  1. Adoro pessoas que fazem o que amam e encaram isso de uma forma tão maravilhosa (mesmo que não seja realmente). Adorei a frase dela, é profunda e tem toda razão. Um livro, uma poesia precisa tocar a gente.

    ResponderExcluir
  2. Wow! existe algo sobre mulheres que fogem do padrão que me emocionam e contagiam! adorei! as pessoas sempre tentam achar alguém como motivo para felicidade e realização de alguém que é bem sucedido no que faz. acho que ela encontrou essa felicidade dentro de si e isso a tornou tão bem sucedida.

    beijos, isa
    http://isaloucaporlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Emily Dickinson... caso antigo de amor!! s2

    Bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia e por gostar bastante de poesias, vou procurar dela para poder ler pois gostei de saber sobre a história dela.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Aline. Vagamente sabia a respeito da Dickinson, mas pelo que vejo de sua história, foi uma grande mulher. Admiro bastante quem batalha pelos seus ideais, ótimo post.

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post, vou procurar saber mais sobre a história dela! Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. ADOREI!
    Não conhecia e vou procurar as poesias dela.

    www.umdejulho.com

    ResponderExcluir
  8. Tem coisa melhor que uma pessoa a frente de seu tempo??? É engraçado ver como seus poemas em vez de morrerem com ela, ganharam força. Coisas da vida.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Emily Dickinson, simplesmente perfeita. Amo a poesia dela <3
    Lindo post, parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Confesso que tive que ler essa postagem duas vezes para entendê-la, mas não leve a mal, é que sou leiga quando se trata de poesia mesmo. Gostei das citações, mas acho que deveria ter tradução na segunda também, pode ser que nem todo mundo consiga ler em inglês.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada de Dickinson, mas curti o post e fiquei bem interessada.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não curto muito poesias, mas adoro Emily Dickinson, pois suas poesias tem uma profundidade gigante e simplesmente não conseguimos entender de primeira.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Realmente um número impressionante de poemas!
    Não conhecia mas vou procurar!
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Gosto da editora e dos títulos maravilhosos. E esse livro? De poesia?😍
    É para aplaudir de pé. Fico abismada com esses autores e suas poesias atuais.

    ResponderExcluir
  15. Admito que ainda não li nada da autora, isso é algo que devo reparar! <3

    ResponderExcluir
  16. Olá! Tudo bem?
    Não conheço nada de Dickinson e confesso que fiquei bem curiosa sobre a biografia dela. Vou procurar para ler! Adorei seu post! Bj

    ResponderExcluir
  17. Muito bonito, não a conhecia.
    Confesso que não sou muito fã de poemas e poesias não, mas irei procurar um pouco mais tem uma que me encantam!

    ResponderExcluir

Topo