{Resenha} A graça da coisa - Martha Medeiros

Por Ingrid

Impossível não se deixar levar pelas crônicas da Martha Medeiros. Em qualquer fase da sua vida você será pego rindo e identificando-se com elas.
São páginas devoradas e amor em cada uma delas. Sem muitos dramas... "Muito estranho. Não estamos acostumados com essa escassez de drama, ao menos não aqui, abaixo da linha do Equador, onde vivemos tudo entre lágrimas e sangue, amores e ódios líquidos."

Martha, poeta, cronista e romancista, ainda é formada em comunicação social pela PUC. É, essa mulher me inspira.
"É preciso saber esperar, do contrário a gente se atrapalha e só reforça a miséria existencial que preenche as madrugadas. Basta de tanta gente evitando pensar, evitando chorar, evitando olhar para dentro de si mesmo, sorrindo de um jeito tão triste que só faz demorar ainda mais o reencontro com o sorriso verdadeiro - aquela aguardando a hora certa de voltar."

Edição da LPM e apesar de sem orelhas, não é versão econômica. As páginas amarelas que tanto amo juntas a essa capa simples como deve ser, tornam a obra bonita de se ler. 
Em 80 crônicas, a autora nos mostra como enxergar a graça da coisa na vida, como também enxergar e perceber o que seria ser simples e sorrir com o óbvio. (Ainda na temática do meu livro preferido dela, o "Feliz por nada" que já tem resenha).

"Estava lendo o divertido e charmoso É tudo tão simples, de Danuza Leão, quando uma senhora chegou perto, com ar de desprezo, e disse: 'não te imaginava lendo autoajuda.' Pensei em responder que Kafka e Tchékhov também são autoajuda: dos eruditos aos passatempos, todo livro escrito com honestidade ajuda."


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo