{Resenha} O Conde de Monte Cristo - Alexandre Dumas (Por Cesar Faria)

DE VOLTA A EDMOND DANTÈS

Cesar Heitor

Nunca um livro ou uma personagem me marcaram tanto. Conheço o Conde de Monte Cristo desde a infância, quando meu pai o lia para mim e meus irmãos e dizia que o Abade Faria – a quem Edmond Dantès encontra na prisão e lhe revela o segredo que mudará sua vida – era parente nosso, o que nos fazia acreditar que a história do jovem marinheiro vítima de uma terrível conspiração era de fato e de verdade verdadeira.

Na verdade, isso de confundir literatura com realidade não deveria causar espanto a ninguém. A fortaleza de If, na França, diariamente é visitada por turistas que insistem em conhecer a masmorra onde esteve presa a célebre figura, seguramente uma das mais emblemáticas personagens da literatura mundial, tornada de carne, osso e alma pela imaginação de todos nós.

A trama de injustiça e vingança do jovem noivo de Mercedes fez sucesso desde o primeiro momento (quando foi publicada em folhetim entre 1844 e 1846) e, de algum modo, inspirada por fatos reais da vida de Pierre Picaud, também este (na vida real, em 1807) vítima da inveja de seus amigos em virtude de seu amor correspondido por uma bela mulher.
 “Le Comte de Monte-Cristo” é considerado ao lado de“Les Trois Mousquetaires” uma das obras mais populares de Alexandre Dumas.

Mas, não quero resenhar nem uma nem outra. Quero falar de Edmond. Acho que o sucesso do rapaz se deve antes de tudo a cumprir o ideal humano de realização da justiça, tão mais saborosa quando vem por nossas próprias mãos, privilégio de poucos.

Ele é o vingador implacável que premia aos bons e pune aos maus. Um a um vão caindo os responsáveis por sua desgraça. O bacana no livro é a maneira como isso acontece. Os disfarces, as maquinações e o uso de venenos. É incrível o conhecimento e a educação adquiridos pelo impressionante nobre cuja origem a sociedade não desconfia. Ele a penetra e manipula com a habilidade do Príncipe de Maquiavel. Ele sabe fazer-se respeitado; sabe fazer-se amado; sabe vingar-se.

Faz sucesso porque faz o papel que biblicamente o Criador reserva para si: “Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor.”(ROMANOS 12:19)

Quantos de nós, quando injustiçados, não desejamos poder tomar nossas vidas e dos que nos fizeram mal em nossas mãos para embaralhar os destinos de maneira que expressem nosso ideal personalizado de justiça.

Quantos de nós não sonhamos ser uma personagem de capa e espada derrotando os maus? A arma de Edmond Dantés é outra. Ele usa o cérebro como ninguém.
 Essa capacidade intelectual de planejar friamente é realmente impressionante.  No livro, só compreendemos os detalhes do plano depois que os passos foram dados. Dumas tem o cuidado – e a habilidade – de fazer a ação preceder a própria compreensão da cena. Quando o Conde se envolve sabemos que ele está aprontando; contra qual dos culpados, de que modo, com o concurso de quem só compreendemos no curso da leitura, o que faz com que o autor esteja sempre um passo a frente.

Embora não esteja resenhando o livro – e sim a personagem – para os adultos recomendo a leitura de edição que traga a íntegra do texto. Há várias senão centenas de edições condensadas e todas elas acabam comprometendo o sabor da vingança.

Aos pais que leem para os filhos (parabéns) recomendo a leitura condensada e contextualizada, como meu pai fazia. Por exemplo, se você é pai ou mãe de uma criança precoce que gosta de política pode comparar a conduta de Gérard de Villefort com a postura deste ou daquele político. O importante é mostrar como algumas pessoas estão dispostas a fazer qualquer coisa para preservar seus interesses, mesmo que isso signifique mexer irremediavelmente com o destino de outras.

Também vale mostrar – limitando o exemplo a uma só família - Noirtier de Villefort, o pai de Gérard, para ensinar como uma pessoa pode ser tão diferente da outra, mesmo pai e filho, mesmo quando a lealdade do velho a Napoleão Bonaparte agora deposto põe em risco a vida e a liberdade do primeiro e é motivo de vergonha e segredo para o segundo.

No fim, não pode deixar de mostrar a lição aprendida e repetida pelo próprio Dantès em sua busca pela felicidade, como suas últimas palavras, fechando o livro:

“Portanto, vivam e sejam felizes, filhos diletos do meu coração, e nunca se esqueçam de que, até o dia em que Deus dignar-se a desvelar o futuro para o homem, toda a sabedoria humana estará nestas duas palavras: Esperar e ter esperança.”

A edição em língua portuguesa que recomendo de O CONDE DE MONTE CRISTO é a da ZAHAR (2008), traduzida por ANDRÉ TELLES e RODRIGO LACERDA. Tinha e dei para a Ingrid a denominada edição BOLSO DE LUXO de 2012 (“qualidade de clássico preço de bolso”) que recomendo porque trás o TEXTO INTEGRAL, pela ótima tradução e pelo preço. 

O CONDE DE MONTE CRISTO como folhetim foi publicado no Brasil pelo JORNAL DO COMMÉRCIO em 1845.

Não, não sou contra condensações, adaptações e traduções. Pelo contrário. Apenas nesse caso concreto recomendo – para o público adulto - a edição integral, para que não se perca nenhum detalhe da vingança tão bem tecida.

Sim, a série de televisão REVENGE é inspirada no “Le Comte de Monte-Cristo”

Provavelmente em virtude de minha fé pessoal em Nosso Senhor Jesus Cristo, meu bem mais precioso, minha passagem favorita desta obra de DUMAS (1802-1870) é:

“Diga ao anjo que vai olhar por sua vida, Morel, para rezar às vezes por um homem que, como Satã, julgou-se por um instante igual a Deus, mas reconheceu, com toda a humildade de um Cristão, que o poder supremo e a sabedoria infinita são atributos exclusivamente divinos. Essas preces talvez venham a suavizar o remorso que ele carrega no fundo de seu coração.”

36 comentários

  1. Já ouvi muito falar do livro, dizem que a história é impressionante, tenho um pouco de receio de ler, e não entender o livro.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que entenderá. Dumas escreve em ritmo de aventura em linguagem praticamente coloquial. Talvez você se perca neste ou daquele detalhe da trama; mas no final entenderá tudo e vai amar o livro. Boa leitura!

      Excluir
  2. Oiii!

    Nossa, estou sem palavras para essa resenha! Muito bem escrita e completa!parabéns. Confesso que sou o tipo de pessoa que não costuma ler clássicos mas eu gostei de saber dessa edição mais completa. A Zahar tem um cuidado excepcional com as obras.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado. A ZAHAR em matéria de literatura publica clássicos e obras de referência. Jorge Zahar (1920-1998) fundou com os filhos a nova ZAHAR em 1985. Antes, com os irmãos havia fundado a "Zahar Editores" especializada em ciências sociais. A primeira casa marcou época e a segunda parece seguir o mesmo caminho.

      Excluir
  3. Olha primeiramente parabéns pela sua resenha.
    Achei que a abordagem que você utilizou para falar sobre a estória ficou muito boa.
    Eu sinceramente não sei como eu resenharia esse livro viu, até porque não faz muito meu gênero de leitura, mas mesmo assim gostei do seu ponto de vista sobre ele e sinceramente me parece ser uma boa estória. Um bom clássico para se ter na estante. Mas por hora eu acho que deixaria para ler mais futuramente e espero poder conhecer com toda certeza =]


    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/01/o-lago-negro-e-envolvente-e-misterioso.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado por ler a resenha, mesmo sendo de um livro (na verdade, de uma personagem do livro) que não faz seu "gênero de leitura".

      Excluir
  4. Oiie,

    Já vi várias pessoas falando desse livro, até aqui na escola era obrigado a leitura, mas sabe nunca li kkkk e nem tenho muita vontade kkkk Mas como você falou das edições, é ruim quando tem umas que vem pela metade, condensadas né? Mas essa edição da Zahar está liiiiiiiiiiiiiiiiinda. Adoro os livros dela.

    Bjs

    ♡ Amantes da Leitura

    ResponderExcluir
  5. Realmente quem não quer ser um herói?
    Já ouvi falar muito bem das obras de Alexandre Dumas, mas infelizmente ainda não li nenhuma.
    Só assisti adaptações, mas espero que isso mude em breve, pois adoro o estilo da história.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    As edições da Zahar são sempre bem feitas! Mas, ler o Conde de Monte Cristo para as crianças? Eu não inseriria meus filhos na literatura com esse clássico tão forte. A leitura é mais recomendada na adolescência, justamente pela trama tão bem tecida. Parabéns pela resenha.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a noção do bem e do mal deve ser passada o mais cedo possível, principalmente pelos pais, procurando explicar tudo de uma maneira didática e divertida. Pode se utilizar uma edição condensada com linguagem simplificada. Acho que se a criança consegue captar a dinâmica narrativa de um romance tipo capa/espada está preparada para ouvir O Conde de Monte Cristo. Quando a ouvi devia ter uns 8 ou 9 anos. Fazê-la interessante e pontualmente didática é o desafio do orador/contador.

      Excluir
  7. Oi, tudo bem ?

    Ainda não tinha lido nenhuma postagem falando sobre esse livro, nesse caso, sobre um personagem específico. Achei que a postagem ficou muito bem estruturada! Adorei saber como teve contato com esse livro na infância. E também curti a indicação de melhor edição nacional ;)

    Fernanda Oliveira | Meraki

    ResponderExcluir
  8. Nossa tinha tempo que não ouvia falar desse livro e achei incrível a sua resenha. Quem sabe entre para a minha lista de leitura.

    Abraços,

    Blog:http://ossegredosdoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    QUE RESENHA INCRÍVEL!
    Preciso ler o livro, o filme eu amo de paixão, um dos melhores da vida!
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oiiie, tudo bem? Olha, que sensacional a forma como você abordou o livro! Parabééns!!! O conde de Montecristo é um clássico né? O filme também é Maravilhoso. Acho que todo mundo deveria ler em algum momento. Agora para tudo: sério que revenge foi inspirada no livro? :O eu adoro e série e não sabia disso! Bjossss


    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu não li o livro, só assisti ao filme e gostei demais da conta. Gostei tanto que perdi as contas de quantas vezes assisti. rs
    Tenho muita curiosidade em ler o livro, afinal a história é impressionante! E essa edição da Zahar é linda, já andei paquerando ela há um tempo.
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  12. tenho muito curiosidade em ler essa obra, mas me falta de fato tempo, há uma lista tão grande de livros que tenho que ler!!! ><
    Adorei a resenha e saber suas percepções a personagem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre cabe mais um livro na lista de uma leitora dedicada.

      Excluir
  13. Oi, tudo bom?
    Sou apaixonada por essa história, mas só li as adaptações até agora. Morro de vontade de ler essa edição da Zahar <3 Assim como você também conheci a história quando era mais nova e ele é bem especial. Parabéns pela resenha.

    Beijos, Rob
    www.estantedarob.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Cesar,
    Nunca li O Conde de Monte Cristo, mas conheço a história e as lendas sobre sua origem. Espero poder ler em breve os detalhes dessa tão famosa vingança. Essa edição da Zahar é maravilhosa, leria ela mesmo sem problemas. <3

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Sempre babo nessas edições de clássicos da Zahar *-* O Conde de Monte Cristo foi um dos primeiros clássicos que eu li e só por isso já me marcou bastante, a estória é incrível, lembro que fiquei abismada com o sofrimento do personagem e arrebatada pelo seu plano de vingança e quando ele reviu aqueles que fizeram parte de sua vida antes da prisão. Uma obra incrível, com certeza!
    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bom?
    Conheci esta história por ser um livro da Zahar (adoro as edições dessa editora), mas não sei se leria o livro, por parecer um pouco maçante.
    Beijos,
    http://www.quinzeinvernos.com/

    ResponderExcluir
  17. Conheço a historia do Conde de Monte Cristo, apesar de nao ter lido o livro.
    Lembro que vi um desenho e depois ao filme e ambos gostei mto.
    A ideia da injustiça e que depois se torna vingança, ou melhor justiça, realmente nos deixa tenso lendo e ficamos ainda mais apreensivos.
    Não sabia que a série Revenge é baseado no livro e agora que eu sei, realmente tem varias semelhanças.
    Achei linda a capa que a Zarah fez!
    Beijos

    Blog Livros e Sushi
    https://livrosesushi.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bem? Esse é um dos livros que minha mãe mais gosta, mas confesso que eu mesma nunca li, somente assisti o filme, mas como sempre dizem, o livro muitas vezes é melhor. Sua resenha ficou excelente. Vou ver se minha mãe tem ele guardado. Beijos, Érika

    >> www.queroseralice.com.br <<

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?

    Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, confesso que não tive curiosidade, mas não foi por isso que não gostei da sua resenha. Adorei a resenha, bem construtiva, mas quem sabe da próxima eu gosto do livro resenhado?! ^~^

    http://desencaixados.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá!
    essas edições da Zahar são maravilhosas, tão lindas dá vontade de ter todas na estante.
    Já assisti ao filme e lembro que fiquei muito envolvida e cheia de raiva da traição rs' E a vingança foi a melhor. Quero conferir a história agora, lendo esse livro que tem tudo para me conquistar.

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Eu quero muito ler esse livro, minha amiga está fazendo a leitura dele nessa edição também e está amando. Achei muito legal o modo que fez a resenha, focando nas ações do personagem. Fiquei mais intrigada ainda para conhecer a história, já que sei bem pouco dela. Não sabia que Revenge era uma adaptação desse livro.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Atenção!
      Não falei que era uma adaptação. Disse que a série é inspirada, o que é diferente, certo?

      Excluir
  22. Eu conheço a história, mas ainda não parei para ler o livro na íntegra.
    Acho que a Zahar arrasou nessa edição - que tem uma capa linda, com todo o conteúdo e um preço super bacana. Sua resenha me deixou ainda mais curiosa e querendo ler a história e ver todos os detalhes! (acho que sou a mais perdida, pois não sabia que Revenge tinha o livro como inspiração...)
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  23. Olá

    Eu cheguei a ver o filme e gostei muito,o livro está na minha lista de desejados já tem um tempo, achei essa edição muito bonita e quero ler o livro na íntegra,não vejo a hora de ter o meu,adorei o post.

    Bjss

    ResponderExcluir
  24. Oie, tudo bom?
    Conheço a história, mas nunca li o livro. Seu post me fez pensar sobre a leitura dessa obra e como ela poderia me enriquecer como leitora.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Topo