Adeus, Meninos - Au revoir les enfants

Quando eu tinha apenas 12 anos eu li um livro chamado "Adeus, Meninos", embora não tivesse maturidade suficiente para compreender a obra, ela me marcou profundamente. Nunca encontrei o livro para comprar e até hoje não havia encontrado o filme para assistir. Como sou apaixonada por filmes sobre as grandes guerras e também por biografias, acabei encontrando por acaso o filme na Oldflix (uma Netflix de filmes antigos). Assistindo o filme, pude entender porque essa obra me tocou tanto, a ponto de ser referência na minha vida literária.




O trecho abaixo pode conter spoilers.

"Na França, sob ocupação alemã, nasce a amizade entre dois meninos. Porém, os nazistas descobrem a origem judaica de um deles e os separam violentamente. Adeus meninos foi inspirado na lembrança mais dramática de minha infância. Em 1944 eu tinha onze anos e era interno num colégio católico perto de fontainebleau. Um de meus colegas que havia chegado no começo do ano me intrigava muito. Ele era diferente discreto. Comecei a conhece-lo a ama-lo quando certa manhã nosso pequeno mundo desabou. Esta manha de 1944 praticamente decidiu minha vocação de cineasta. E a minha fidelidade minha referência. Deveria tê la feito a matéria de meu primeiro filme mas hesitava esperava e muito mais"… Louis Malle


Au revoir les enfants é um drama francês de 1987, dirigido, escrito e produzido por Louis Malle. O filme é baseado na sua própria infância, os fatos retratados tanto no livro quanto no filme relatam fatos acontecidos quando ele tinha apenas 12 anos e estudava em em um colégio carmelita perto de Fontainebleau. Traz a Segunda Guerra Mundial como pano de fundo, mas o cenário é um colégio católico, internato de crianças ricas francesas, a guerra em si é apenas sugerida no enredo, mas presente em todos os momentos.


O título do filme, uma frase de despedida que ocorre em determinado momento do enredo, mas que não o revelarei para evitar spoilers. O filme em questão não traz grandes diálogos ou pensamentos filosóficos profundos, Male usou de extrema delicadeza concentrando a simples e ótima interpretação dos atores em trejeitos, olhares e silêncios carregados de significado. Foram necessários 43 anos para ele conseguir relembrar e reproduzir a sua infância. Destaque para a bela direção e fotografia do filme.

" Está com medo?
- O tempo todo!....


Um filme humanista, sem super produção, porém belo, lirico e poético apesar da sombra terrível que o cerca. Uma memória comovente, narrada com beleza e sensibilidade, uma história de resistência, amizade, conflitos, perplexidade e a crueldade da guerra. Nó na garganta e aperto no coração garantidos.

Sinopse:

Durante a 2ª Guerra, os franceses tentam evitar problemas com os militares alemães. Num internato católico, Julien Quentin, aluno de família abastada, intriga-se com Jean Bonnet , novo menino que não se enturma com outras crianças. Aos poucos, eles se aproximam e Julien descobre que Jean é judeu. Baseado nas lembranças de Louis Malle, Adeus, Meninos é um dos melhores filmes já realizados sobre a infância. Uma obra humanista dirigida com delicadeza e emoção por Malle.

Premiações:

  • O filme ganhou o Leão de Ouro do Festival de Cinema de Veneza em 1987.
  • Em 1988, recebeu o César em sete categorias, incluindo melhor diretor, melhor filme e melhor roteiro.
  • No mesmo ano, na 60º edição do Oscar, foi indicado nas categorias de Melhor filme estrangeiro e Melhor roteiro original, e concorreu ao Globo de Ouro de Melhor Filme em língua estrangeira.
"Mais de quarenta anos se passaram...
mas me lembrarei até a morte...
de cada segundo daquela manhã de janeiro..."



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo