RESENHA Dias de sangue e estrelas - Laini Taylor

Por Thainá Ferreira


Sinopse: Karou, uma estudante de artes plásticas e aprendiz de um monstro, por fim encontrou as respostas que sempre buscou. Agora ela sabe quem é - e o que é. Mas, com isso, também descobriu algo que, se fosse possível, ela faria de tudo para mudar: tempos atrás Karou se apaixonou pelo inimigo, que a traiu, e por sua culpa o mundo inteiro foi punido. Na deslumbrante sequência de Feita de fumaça e osso, ela terá que decidir até onde está disposta a ir para vingar seu povo. Dias de sangue e estrelas mostra Karou e Akiva em lados opostos de uma guerra ancestral. Enquanto os quimeras, com a ajuda da garota de cabelo azul, criam um exército de monstros em uma terra distante e desértica, Akiva trava outro tipo de batalha: uma batalha por redenção... por esperança. Mas restará alguma esperança no mundo destruído pelos dois?

Agora Karou sabe sobre o seu passado, depois de muito tempo sem saber nada sobre si mesma ela enfim descobre de onde vem e quem ela é. Depois de saber toda a verdade será que ela perdoará Akiva? Karou atravessa o portal para Eretz, o que se encontra la é so dor e poucos quimeras. Como sendo a única a ajudar Brinstone durante anos, Karou é a única que pode fazer os quimeras se reerguer. Mas será que ela pode confiar naquele em que planejou sua morte quando ainda era Madrigal? E nos que assistiram e apoiaram sua execução? Com Karou no time, a guerra contra os serafins vai começar.

"Nós renascemos. É a sua vez de morrer"

Neste segundo livro a trama continua ainda mais empolgante. Karou terá que tomar várias decisões importantes que decidirá não somente seu futuro, mas de todo seu povo. Mas agora ela não está mais sozinha, não depois da ajuda de Akiva. Mas será que Akiva estará sozinho na busca pela paz? O segundo volume da trilogia está mais intenso, agitado, interessante e cheio de ação. A história chega em tal ponto que não se consegue largar o livro, a curiosidade e tamanha para saber sobre o desfecho. Até onde vai a esperança de um mundo sem guerras? Um inimigo sempre será um inimigo ou pode haver uma trégua?


"Enquanto estamos vivos, há sempre uma chance de as coisas melhorarem."
"Devemos conhecer nossos inimigos."
"Ela dissera que não sentia medo, mas era mentira. Seu medo era ser deixada sozinha."
"Nada faz alguém se sentir tão inútil quanto a dor de outra pessoa."
"Brimstone sabia melhor do que ninguém que a morte nem sempre é o fim que parece ser."
" — Só podemos decidir por nós mesmos."



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo